Crescimento Pessoal

O PARADOXO DAS COISAS

Uma das grandes virtudes de tudo na natureza é o seu poder de transformação, mas que utilizamos pouco ou quase nada. Isso porquê é difícil de entendermos que o paradoxo é algo que permeia a vida. A aparente falta de lógica ou a contradição inerente nas coisas é o que nos permite transformar e, algumas vezes, evoluir.

O conceito de polaridade tão presente na nossa vida, de forma consciente ou não, torna difícil para nós entendermos que nunca existiu o grau de pureza das coisas como idealizamos, simplesmente, porque isso não está no cerne da nossa existência, que se resume em criar novas experiências. Existe uma predominância ou uma tendência, mas a natureza é tão sabia que para podermos exercitar a nossa criatividade, ela deixa sempre uma porta aberta para outro lugar. De fato a polaridade e o paradoxo são irmãs que trabalham em conjunto, uma no nível físico e a outra no mental. E é exatamente a forma como lidamos com o paradoxo no nível mental, que  determinará com a polaridade se “precipitará” no nível físico.

Parece complicado mas é simples. Quando olhamos o símbolo chinês do Tai Chi, mais conhecido com Yin e Yang, energias feminina e masculina, percebemos claramente que um pequena parte de um está presente no outro. Este símbolo é muito rico pois traduz o potencial oposto inerente de ambas as forças, o movimento constante, a flexibilidade e a completude harmônica quando estas forças se posicionam na posição correta. A filosofia chinesa tem muito de sua sabedoria retirada da própria natureza porque toda a inteligência maior- criação, evolução,ciclo, tempo- está nela espelhada.

Um exemplo simples do potencial inerente das coisas é a água que de líquido pode passar para o estado sólido ou gasoso dependendo do meio que interage. Num nível grosseiro, o meio é o terceiro elemento, o elemento que catalisa e faz com que estas novas realidades aconteçam. É como a imagem dos dois cachorros de personalidades opostas. Irá ficar mais forte aquele para o qual dermos mais alimento. Ou seja, todos os estados aparentes são consequência de como alimentamos algo.

Um outro exemplo mais existencial, é alguém que tem um temperamento forte e que todos do seu relacionamento já tem uma imagem mental de uma pessoa brava. Este ser humano já terá introjetado esta imagem mental a respeito de si mesmo e enquanto ele não mudar o ambiente no qual se relaciona, dificilmente, irá perceber a sua natureza tranquila. No mesmo ambiente, as afirmações-definições estão tão consolidadas que não existe “espaço” para acessar e desenvolver uma nova.

Tudo tem uma natureza própria, mas ela não é imutável. Esta ideia é muito importante porque muitas vezes criamos um sistema de crenças interno muito forte que nos impede de crescer ou viver experiências que gostaríamos. E são apenas estes que nos impedem de mudar a atitude ou o ambiente externo para que a transformação ocorra. É preciso muita autoconsciência para se fazer este movimento. A maioria das questões emperram porque as pessoas aceitam rótulos e nem refletem sobre isso. Dizemos para nós mesmos:” ok, eu sou preguiçoso”, mas nunca nos perguntamos por quê.

Uma pessoa que coloca na cabeça que não é boa em línguas nunca aprenderá outro idioma sem uma grande dificuldade e sem antes descobrir o porquê desta dificuldade. Assim como uma pessoa que se acha lenta não irá treinar para ser mais rápida. Tudo isso porque no inconsciente coletivo alguns conceitos tem significados que tornam as coisas definitivas e excludentes, e o paradoxo é visto como uma exceção ou até como anormalidade, numa visão mais grosseira. Coisas que não fazem sentido por parecerem contraditórias são chamadas de paradoxo e, por isso, não percebemos que a vida é um paradoxo ambulante. Compreendermos isso profundamente, nos traria grande liberdade e leveza.

Melhor ainda, poderíamos dizer que muitos dos conhecidos como grande vencedores foram aqueles que não se deixaram vencer pelas suas fragilidades e se esforçaram muito para vencer a sua própria imagem mental e a dos demais. Disseram para si mesmos que eram maiores que as suas fraquezas e assim se tornaram.

Aceitar o paradoxo inerente da vida nos daria menos certeza das coisas, seríamos mais humildes de fato e teríamos uma percepção mais fluida é flexível de tudo. Nada mais seria tão definitivo. Provavelmente, no início, seria assustador para a grande maioria, mas com o tempo a vida poderia se tornar uma grande brincadeira, pois julgamentos e critérios seriam menos rígidos.

Daí, os mais sérios diriam: a mulher pirou, o mundo seria um caos. E eu afirmo que o mundo não seria um caos. O caos, no mal sentido, se dá pelo medo e pela opressão. A liberdade está baseada na aceitação e na expansão que neutralizam o medo. É uma frequência mais alta, mais leve e também mais colaborativa e responsável. O pedágio é pago na transição onde as duas coisas – medo/opressão e aceitação/liberdade – teriam que operar juntas, mas não tenho dúvidas que com o tempo a liberdade iria imperar.

Temos que lembrar também que estar no caminho espiritual não significa ser iluminado, e que o ser iluminado é divino e não humano. Aqui estou falando da realidade humana e é exatamente por sermos paradoxais, que poderemos um dia nos tornar iluminados. Nos enxergarmos como ainda não somos poderá nos impedir de nos tornarmos o que almejamos ser, e é preciso estar atento.

Infelizmente, ainda alimentamos o cão mais medroso, mas como o paradoxo inerente a tudo é “real” assim como mostra o Tai Chi, o lótus nascerá da lama porque a força da natureza sempre será maior que a nossa vontade de enjaulá-la.

Ana Cristina Koda

Ana Cristina Koda

Após mais de 20 anos no caminho do autoconhecimento e da espiritualidade, resolveu compartilhar suas visões e experiências pessoais, frutos das práticas de meditação, através de seus artigos. Seus muitos anos como profissional das áreas de marketing e comunicação são a base desta sua vontade de se comunicar, agora, com um propósito maior.
Vamos Meditar concretiza este sonho, que está se realizando e que dedica a todos os seres. Também dá aulas particulares de meditação e atende com terapias integrativas para quem quer seguir o caminho do autoconhecimento e da espiritualidade.
Contato pelo email: anackoda@gmail.com

No Comment

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *