Meditação

O PODER DA RESPIRAÇÃO – JOHN KABAT-ZINN

Os poetas e cientistas estão conscientes de que o nosso organismo pulsa com os ritmos da sua ancestralidade. Ritmo e pulsação são intrínsecos a toda a vida, desde a batida de cílios das bactérias aos ciclos alternados de fotossíntese e respiração nas plantas, aos ritmos circadianos do nosso próprio corpo e sua bioquímica. Esses ritmos do mundo vivo são encaixados dentro dos ritmos maiores do planeta em si, o fluxo e refluxo das marés, carbono, nitrogênio, oxigênio e os ciclos da biosfera, os ciclos do dia e noite, as estações do ano. Nossos próprios corpos estão unidos com o planeta em uma troca rítmica contínua de matéria e fluxos de energia que vão e vêm entre os nossos corpos e o que chamamos de “o meio ambiente.” Alguém uma vez calculou que, em média, a cada sete anos todos os átomos do nosso corpo vieram e foram substituídos por outros de fora de nós. Isto em si é interessante para pensar. O que eu sou, se pouco da substância do meu corpo se manteve a mesma em minha vida?

Uma forma desse intercâmbio de matéria e energia acontecer é através da respiração. A cada respiração, trocamos as moléculas de dióxido de carbono de dentro de nossos corpos por moléculas de oxigênio do ar circundante. Eliminação de resíduos a cada expiração, renovação com cada inspiração. Se este processo for interrompido por mais de alguns minutos, o cérebro torna-se carente de oxigênio e sofre danos irreversíveis.

A respiração tem um parceiro muito importante no seu trabalho, o coração. Pense nisso: Este músculo incrível nunca deixa de bombear durante toda a nossa vida. Ele começa a bater em nós muito antes de nascermos e simplesmente continua batendo dia após dia, ano após ano, sem uma pausa, sem um descanso por toda a nossa vida. E pode até mesmo ser mantido vivo por meios artificiais por algum tempo depois de estarmos mortos.

Tal como acontece com a respiração, o batimento cardíaco é um ritmo fundamental da vida. O coração bombeia o sangue rico em oxigênio dos pulmões através das artérias e seus capilares menores para todas as células do corpo, fornecendo-lhes o oxigênio de que necessitam para funcionar. Quando as células vermelhas do sangue liberam seu oxigênio, elas carregam-se de dióxido de carbono que é o principal produto residual de todo o tecido vivo. O dióxido de carbono é, então, transportado de volta para o coração através das veias e daí é bombeado para os pulmões, onde é descarregado na atmosfera pela expiração. Isto é seguido por outra inspiração, que novamente oxigena as moléculas portadoras da hemoglobina que vão ser bombeadas por todo o corpo na próxima contração do coração. Este é, literalmente, o pulsar da vida em nós, o ritmo do mar primordial internalizado, o fluxo e refluxo de matéria e energia em nossos corpos.

Desde o momento em que nascemos até o momento em que morremos, nós respiramos. O ritmo da nossa respiração varia consideravelmente em função de nossas atividades e nossos sentimentos. Ele acelera com esforço físico ou distúrbios emocionais e diminui durante o sono ou períodos de relaxamento. A título de experiência você pode tentar ser consciente da sua respiração quando você está animado, com raiva, surpreso, e relaxado e perceba como ela muda. Às vezes, a nossa respiração é muito regular. Em outros momentos, é irregular, até mesmo ofegante.

Temos alguma medida de controle consciente sobre a nossa respiração. Se quisermos, podemos prender a respiração por um tempo curto ou voluntariamente controlar a velocidade e a profundidade com que nós respiramos.

Mais lenta ou mais rápida, controlada ou entregue a si mesma, a respiração continua indo, dia e noite, ano após ano, por todas as experiências e estágios da vida que atravessamos. Geralmente nós a levamos completamente por óbvio. Não prestamos nenhuma atenção a nossa respiração, a menos que algo aconteça para nos impedir de respirar normalmente. Quer dizer, isso se não começarmos a meditar.

A respiração desempenha um papel extremamente importante na meditação e na cura. A respiração é um aliado extremamente poderoso e professor no trabalho de meditação, embora as pessoas sem treinamento em meditação achem nada disso e achem desinteressante.

As pulsações fundamentais do corpo são particularmente proveitosas para se concentrar durante a meditação, porque elas estão intimamente ligadas com a experiência de estar vivo. Embora teoricamente pudéssemos nos concentrar em nosso coração batendo ao invés de nossa respiração, é muito mais fácil para se tornar consciente da respiração. O fato de que é um processo rítmico e que está em constante mudança fará com que seja ainda mais valioso para nós. Pois ao nos concentrarmos na respiração quando meditamos, estamos aprendendo desde o início a nos familiarizarmos com a mudança. Vemos que teremos que ser flexíveis. Teremos de nos treinar para um processo que, não é apenas cíclico e flui, mas que também responde ao nosso estado emocional mudando seu ritmo, algumas vezes de forma bastante dramática.

Nossa respiração também tem a virtude de ser um processo muito conveniente para manter a consciência continuamente em nossa vida diária. Enquanto estamos vivos, pois ela está sempre com a gente. Não podemos sair de casa sem ela. Ela está sempre aqui para ser observada, não importa o que estejamos fazendo ou sentindo ou experimentando, não importa onde estivermos. Sintonizar com ela nos traz direto para o aqui e agora. Ela ancora imediatamente nossa consciência no corpo, em um processo rítmico fundamental da vida que flui.

Full-Catastrophe-Living

 

 

Traduzido de: Full Catastrophe Living, John Kabat-Zinn

Meg

Meg

Como idealizadora do VamosMeditar, o objetivo de Meg é procurar unir informações relevantes sobre meditação e apresentá-las para as pessoas. Meg é produtora de inovação há 14 anos e uma experiente praticante de meditação. Com interesses intelectuais voltados às questões humanas, tecnológicas e sociais, encontrou no estudo de filosofias orientais e da psicologia condições essenciais para sua realização pessoal. Vive em São Paulo e trabalha com tecnologia da informação, está muito feliz cursando sua segunda graduação, Psicologia. Ativa na jornada de auto-conhecimento, vem procurando em suas ações fazer mais pelas pessoas e pelo mundo.

No Comment

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *