Crescimento Pessoal

O PARADOXO DA NOSSA ERA

Acredito que um dos grandes temas da atualidade sejam os paradoxos. Passei boa parte do ano de 2014 meditando sobre isso, e ainda não tomei coragem de escrever sobre o assunto, mas encontrei um texto que demonstra bem um dos aspectos dos paradoxos e como estes permeiam a nossa vida diária. O texto que segue é um trecho de “O paradoxo da nossa era,” do Words Aptly Spoken por Bob Moorehead, publicado no site Spirit Science.

“Temos edifícios mais altos, mas temperamentos mais curtos; autoestradas mais amplas, mas pontos de vista mais estreitos;

Podemos gastar mais, mas temos menos; podemos comprar mais, mas aproveitamos menos.

Temos casas maiores e famílias menores; mais conveniências, mas menos tempo.

Temos mais diplomas, mas menos senso; mais conhecimento, mas menos juízo; mais especialistas, ainda mais problemas.

Temos mais gadgets, mas menos satisfação; mais remédios, mas menos bem-estar; tomamos mais vitaminas, mas com menos resultados.

Bebemos demais; fumamos demais; gastamos de forma irresponsável; rimos muito pouco; dirigimos muito rápido.

Ficamos com raiva muito rapidamente.

Ficamos acordados até muito tarde; acordamos muito cansados.

Lemos pouco; assistimos TV demais… e rezamos muito raramente.

Temos multiplicado nossas posses, mas reduzido nossos valores.

Voamos em aviões mais velozes para chegar mais rápido, fazer menos e retornar mais cedo; assinamos mais contratos apenas para termos menos lucros.

Falamos demais; amamos muito raramente e mentimos com muita frequência.

Nós aprendemos como fazer a vida, mas não como ter uma vida; adicionamos anos à vida, não vida aos anos.

Fomos até a lua e voltamos, mas temos dificuldade em atravessar a rua para conhecer o novo vizinho.

Já conquistamos o espaço exterior, mas o espaço não interno;

Fizemos coisas maiores, mas não melhores.

Nós já limpamos o ar, mas poluímos a alma; dividimos o átomo, mas não o nosso preconceito.

Escrevemos mais, mas aprendemos menos; fazemos mais planos, mas realizar menos.

Fazemos aviões mais rápidos, mas linhas mais longas; aprendemos a apressar, mas não a esperar.

Temos mais armas, mas menos paz.

Rendimentos mais elevados, mas baixa moral; mais festas, mas menos diversão; mais comida, mas menos apaziguamento;

Mais conhecidos, mas menos amigos; mais esforço, mas com menos sucesso.

Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas temos menos comunicação.

Dirigimos carros menores que têm problemas maiores; construímos fábricas maiores que produzem menos.

Nós temos convivido muito tempo com a quantidade, mas pouco com a qualidade.

Estes são os tempos de fast food e de digestão lenta; homens altos, mas de caráter curto; íngremes em lucros, mas relacionamentos rasos.

Estes são tempos de paz mundial, mas guerra doméstica; mais lazer e menos divertimento; muitas postagens, mas correio mais lento; mais tipos de comida, mas menos nutrição.

Estes são dias de duas rendas, mas de mais divórcios; estes são tempos de casas mais extravagantes, mas de lares desfeitos.

Estes são dias de viagens rápidas, fraldas descartáveis, de vivermos armados, de jogarmos fora a moralidade, do sexo de uma só noite, de corpos acima do peso e pílulas que fazem de tudo, da alegria a prevenção, tranquilizar ou matar.

É um tempo quando há muito na vitrine e nada no estoque. De fato, estes são os tempos!

A mudança começa com cada pessoa sendo individualmente responsável por suas ações e comportamentos. Qual o tipo de mundo que nós estamos escolhendo* com o modo que escolhemos viver a nossa vida?”

 

* o autor utilizou o termo “voting for” no texto original, mas fizemos uma tradução livre que nos pareceu ser mais simples de compreender o sentido da frase.

Texto original: http://www.spiritscienceandmetaphysics.com/the-paradox-of-our-age-how-our-society-is-backwards

Ana Cristina Koda

Ana Cristina Koda

Após mais de 20 anos no caminho do autoconhecimento e da espiritualidade, resolveu compartilhar suas visões e experiências pessoais, frutos das práticas de meditação, através de seus artigos. Seus muitos anos como profissional das áreas de marketing e comunicação são a base desta sua vontade de se comunicar, agora, com um propósito maior.
Vamos Meditar concretiza este sonho, que está se realizando e que dedica a todos os seres. Também dá aulas particulares de meditação e atende com terapias integrativas para quem quer seguir o caminho do autoconhecimento e da espiritualidade.
Contato pelo email: anackoda@gmail.com

No Comment

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *