MeditaçãoPráticas de Meditação

MEDITAÇÃO DOS SENTIDOS

Os 5 sentidos são o nosso principal elo de comunicação com o mundo exterior. Desde que nascemos, os nossos sentidos estão nos informando sobre o ambiente e nós vamos “catalogando” estas informações conforme as recebemos, em função de como reagimos. Olhamos algo que gostamos, não gostamos ou somos indiferentes; sentimos um sabor que achamos agradável ou não, e assim fazemos com todos os nossos sentidos. Literalmente, representam a forma como sentimos o mundo.

Este banco de dados é uma fonte rica de informação, que nos preserva. Porém, também nos limita e nos deixa presos às impressões e sensações de um passado que reagirá automaticamente, nos impedindo de estarmos abertos a experiência do presente.  Por isso, é importante manter o nosso nível de atração e aversão pelas coisas “sob controle”. E isso só será possível se treinarmos a nossa mente a ser mais observadora, focada, aberta, menos reativa aos estímulos do nosso meio ambiente e até mesmo, questionadora.

Postura

Esta meditação pode ser feita sentada ou deitada. Sentada em almofada de pernas cruzadas ou em cadeira, com os pés bem apoiados no chão. Mãos apoiadas sobre as coxas. Lembre-se de estar numa posição estável e relaxada. Apenas atenção com a coluna ereta. Mantenha os olhos semi-cerrados ou fechados.

Estabilização da mente
Comece colocando atenção na sua respiração. Faça 3 respirações profundas, inspirando pelo nariz e expirando pela boca. Retome a sua respiração regular pelo nariz. Coloque atenção no movimento das narinas, na temperatura do ar que entra e que sai, ou sinta este passando por um ponto entre as sobrancelhas. Pode ainda colocar a mão na barriga e acompanhar o movimento do ar que entra e sai através desta região. Lembre-se de não resistir a pensamentos, reações físicas ou emoções. Apenas observe, sem julgar e retome a atenção para a respiração. Faça esta prática por pelo menos 5 min.

Preliminares
Coloque um leve sorriso nos lábios e uma intenção positiva na prática.

Prática

  1. Coloque a toda a sua atenção na sua audição. Observe o ruído ambiente, seus sons internos como as batidas de seu coração. Perceba quantas camadas sonoras surgem conforme você aprofunda a atenção na audição. Alguns sons são agradáveis, outros nem tanto, alguns são desconhecidos e outros são conhecidos.  Após alguns minutos apenas observando os sons, coloque uma intenção de sempre utilizar a sua audição de forma amorosa, receptiva e sem julgamento.
  2. Agora, coloque sua atenção no paladar. Observe os sabores que permanecem na sua boca. Alguns serão bons, outros nem tanto. A maioria trará alguma memória que talvez leve você a divagar. Retome a sua atenção no sentido. Após alguns minutos apenas observando os sons, coloque uma intenção de sempre utilizar o seu paladar de forma amorosa, receptiva e sem julgamento.
  3. Volte agora a sua atenção para o seu olfato. Perceba todos os aromas, perfumes e cheiros à sua volta. Observe como o mundo está repleto de estímulos olfativos dos mais diversos. Perceba as suas reações automáticas em relação a estes estímulos e mantenha a firme determinação de não reagir. Apenas continue a observar. Após alguns minutos apenas observando os sons, coloque uma intenção de sempre utilizar o seu olfato de forma amorosa, receptiva e sem julgamento.
  4. Comece a prestar atenção na temperatura do seu corpo, algumas partes podem estar mais quentes do que outras. Sinta as diferentes texturas das roupas na sua pele. Observe a gravidade atuando no seu corpo e fazendo o peso na Terra. Existe um mundo de informações que tomamos consciência apenas por observar a nossa pele. Após alguns minutos apenas observando, coloque uma intenção de sempre utilizar o seu tato de forma amorosa, receptiva e sem julgamento.
  5. Finalmente, abra os olhos e coloque atenção na sua visão. Perceba apenas o que está no seu campo visual. Não é necessário mover sua cabeça ou os seus olhos. A visão é um dos sentidos mais facilmente estimulados e impactados pelo mundo externo. Mantenha sua atenção na visão lembrando-se de manter-se apenas como observador, sem reagir às informações visuais que entram na sua mente. Após alguns minutos apenas observando as imagens, coloque uma intenção de sempre utilizar a sua visão de forma amorosa, receptiva e sem julgamento.
  6. Feche novamente os olhos, sinta como foi para você se esforçar para não reagir aos estímulos externos. Perceber, como os momentos de prazer e dor se alternam na nossa mente através dos estímulos que vem do nosso corpo, e como é relaxante não responder a estes estímulos.
  7. Aproveite este momento por mais alguns instantes.
  8. Finalize unindo as mãos em oração no centro do peito, agradeça e dedique a energia positiva gerada pela prática em benefício de todos os seres.

 

Ana Cristina Koda

Ana Cristina Koda

Após mais de 20 anos no caminho do autoconhecimento e da espiritualidade, resolveu compartilhar suas visões e experiências pessoais, frutos das práticas de meditação, através de seus artigos. Seus muitos anos como profissional das áreas de marketing e comunicação são a base desta sua vontade de se comunicar, agora, com um propósito maior.
Vamos Meditar concretiza este sonho, que está se realizando e que dedica a todos os seres. Também dá aulas particulares de meditação e atende com terapias integrativas para quem quer seguir o caminho do autoconhecimento e da espiritualidade.
Contato pelo email: anackoda@gmail.com

No Comment

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *