Vida e Bem Estar

A JABUTICABEIRA

A casa era charmosinha – um chalé de madeira bem no estilo “casa da vovó” – mas pequena demais! Eu andava cansada de casa grande e queria algo mais aconchegante e menos trabalhoso, porém “nem tanto ao mar nem tanto à terra”, pensei.

Foi então que chegamos ao terraço e aí quase perdi o fôlego com o que vi! Atrás do jardim gramado e florido, e bem diante do meu nariz, uma cadeia de montanhas que se estendia para um lado e para o outro, a perder de vista! Fiquei extasiada!

E, se não bastasse, um belo pomar à minha direita, com diversas árvores frutíferas, entre as quais… mal pude acreditar quando vi!… uma imensa e frondosa jabuticabeira! Era tudo o que eu queria!

A casa poderia ser ampliada e adequada às nossas necessidades. Mas aquela vista e a jabuticabeira, em que lugar do mundo eu poderia encontrar essas duas preciosidades juntas? Negócio fechado!

Entretanto, os proprietários, percebendo a minha empolgação e talvez temendo que eu viesse a reclamar mais tarde, sentiram-se na obrigação de me avisar que a jabuticabeira já estava muito velha e há muito tempo não dava mais jabuticaba. “O que?!” – pensei – “A vida não iria me oferecer a possibilidade de realizar um sonho de infância para logo em seguida me frustrar!” Resolvi ignorar o comentário deles e ficar com a casa assim mesmo… e com o jardineiro que cuidava de tudo aquilo com tanto esmero. Pois não é que uma das primeiras coisas que ele falou foi que aquela jabuticabeira até dava uns frutos, mas mal eles começavam a ficar pretinhos, murchavam e caíam?!

Eu não queria acreditar nisso… e não acreditei mesmo!

Mal ele foi embora, me apresentei à jabuticabeira e, com todo amor que eu tinha no coração, lhe agradeci por fazer parte do meu pomar e por todos os frutos deliciosos que ela me daria, no momento certo. Contei-lhe do quintal encantado da minha infância, onde havia de tudo… menos uma jabuticabeira. Contei-lhe do quintal da infância dos meus filhos, onde uma das primeiras mudas que plantamos foi… ou deveria ser… uma jabuticabeira. Contei-lhe da frustração que sentimos quando, alguns anos mais tarde, percebemos que havíamos comprado gato por lebre. E lhe contei como eu estava feliz por finalmente ter uma jabuticabeira de verdade no meu quintal, como um presente de Deus para mim!

Habituei-me a conversar com ela, quase que diariamente, envolvendo-a sempre com muita gratidão e carinho. Ela só escutava.

Então um dia percebi umas florzinhas brancas no seu tronco e galhos. Meu coração se encheu de alegria e esperança! E a esperança transformou-se em certeza quando as florzinhas deram lugar a umas bolinhas verdes… que foram escurecendo e crescendo, crescendo, crescendo… até que a árvore inteira se cobriu de jabuticabas enormes, brilhantes, doces e suculentas!

Dois anos e meio se passaram e, mesmo nos tempos mais secos, a jabuticabeira continua nos surpreendendo, vestindo-se com folhas novas, enfeitando-se de flores e cobrindo-se de frutos maduros e saborosos.

A cada nova surpresa, uma nova explosão de alegria, que expresso em palavras, risos, lágrimas, abraços, beijos… e tudo que me permita demonstrar o quanto amo, respeito e sou grata a esse incrível Ser da Natureza!

Cada vez mais me convenço de que a mesma vida que nos anima se faz presente em toda a Criação; e que existe um idioma comum a todos – seja uma pedra, uma planta, um animal – a linguagem do Amor, nosso meio de comunicação infalível e irresistível!

Vera Corrêa

Vera Corrêa

Vera Correa é arquiteta de formação, atualmente, sempre teve atração pelas medicinas naturais e integrativas. Em mais de 20 anos, estudou do-in, reiki, reflexologia, massagem terapêutica, magnified healing e, mais recentemente, cura eletrônica, feng shui e danças circulares. É facilitadora de vivências que aproveitem as qualidades terapêuticas, meditativas e de autoconhecimento desse tipo de dança e de oficinas de meditação. Também dá palestras sobre o papel espiritual do DNA e das Glândulas Endócrinas, o que resultou em workshops sobre esses temas.
Outro aspecto sempre presente na vida de Vera Corrêa é um enorme interesse pelo desenvolvimento espiritual. Por isso, vem se dedicando através de estudos e prática aos ensinamentos de Mestres da Espiritualidade, do desenvolvimento da sua própria intuição e de atividades que possam contribuir para a elevação espiritual da coletividade – como o “Workshop Meditação em 4 Tempos”, que ela está realizando atualmente com a psicóloga Ana Favali, em Caçapava, onde reside. Contato: veracorrea46@ig.com.br

No Comment

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *