Mente

ESPIRITUALIDADE. DA ERA DA VÍTIMA PARA A ERA DO HERÓI.

Em 2011, antes do profético e verdadeiramente transformador 2012,assisti um vídeo no Youtube, indicado por uma sábia amiga do Trijang Buddhist Institute. Era o canal ‘Buddha at the Gas Pump’, que entrevista mestres, professores e buscadores de todas as linhagens e não linhagens.

Me deparei com um menino de 24 anos, holandês, que imediatamente me ganhou, especialmente,
pela maneira como não se dava importância, “nem oh’s nem ah’s”, quando o entrevistador budista
falava de seus inúmeros retiros de 100.000 mantras. Ao longo de 2 anos, assisti seus vídeos semanalmente, às vezes diariamente. Me inspirou, me elevou e expandiu a minha mente de uma maneira que eu nunca havia experimentado antes. As benditas ‘fichas’ começaram a cair.

Bentinho Massaro nasceu em Amsterdã e, desde cedo, foi introduzido às práticas meditativas por seus pais. Então, começou sozinho a buscar intensa e metodicamente a ‘Iluminação’ através do Reiki, da Não Dualidade, da Telekinesis e de mestres indianos como Nisirgadatta, entre vários outros.

Ao se desiludir com a educação formal e entrar em depressão, decidiu que queria descobrir a
verdade, a mais alta sabedoria. Desistiu de entrar na faculdade. Aos 18 anos, foi para a Índia e logo começou a dar satsangs (ensinamentos) por lá. Ao voltar para a Europa, começou a dar encontros semanais e o grupo só crescia. Em 2012, se mudou para os Estados Unidos, onde continua compartilhando suas descobertas e realizações, hoje, no Integral Centre em Boulder, no Colorado. Boulder também é a sede do centro Budista Shambhala e da Instituição Naropa, ambos fundadospor Chögyam Trungpa, mestre de louca sabedoria.

Geralmente, as pessoas olham com suspeita quando digo que Bentinho não pertence a nenhuma linhagem e não é discípulo de nenhum mestre em específico. Até aí, Buddha Shakyamuni também não tinha uma linhagem e não era discípulo de um só mestre, a não ser da verdade. Buddha teve muitos mestres e aprendeu com todos, o máximo que pode, antes de continuar sua jornada em total liberdade, seguindo sua intuição, vontade e sabedoria. O frescor, a clareza e o altíssimo nível de energia gerada durante seus retiros e encontros são sem igual. Vejo pessoas com experiência e ‘bagagem espiritual’ de todas as idades acenderem a lâmpada interna e, realmente, terem realizações sobre questões psicológicas pessoais, num nível metafísico-espiritual. Presenciar isto é muito emocionante.

Outro efeito de sua presença é o grande amor e a profunda conexão gerada entre as pessoas presentes. Um senso comum de humanidade e grandeza, pela viagem que traçamos juntos ao nascermos na Terra, neste momento, se espalha pelo grupo. Seus seguidores, de 50-70 anos, ficam muito felizes quando ele diz, “se esta buscando há mais de 20 anos e não chegou a lugar algum, então está fazendo alguma coisa errada”.

Eu pratico Kundalini Yoga e Budismo Tibetano, especificamente a Autocura NgalSo de Lama Gangchen Rimpoche. Também fiz um mestrado em filosofia budista porque gosto do assunto e, cada vez mais, vejo que os ensinamentos de Bentinho Massaro estão completamente alinhados com o mais alto ensinamento Budista Mahayana, a união da compaixão com a sabedoria. Seus ensinamentos foram sistematizados em 3 partes:

1) Presença – A natureza constante da Presença
2) Além da Experiência – A natureza atemporal do Infinito
3) Consciência Empoderada – A natureza impermanente da Experiência

Bentinho Massaro enfatiza não só o equilíbrio do nível mundano, sutil e muito sutil, mas também a capacidade de viver estas, aparentemente, diferentes realidades de um modo mais homogeneizado. Enfatiza o ser completo como pessoa em todos os níveis.

Bentinho não é um guru, mas poderia ser. Não gera os efeitos que um guru tradicional gera, muitas vezes involuntariamente, sobre a psique dos ouvintes com complexo de inferioridade (a maioria de nós). Ou seja, não vejo ninguém se sentindo desadequado perante sua pessoa, projetando sobre ele suas inferioridades (ilusórias) ou mesmo o tratando como se fosse um rei, intocável e distante.

A hierarquia se foi, que bom! Amo meus mestres e professores de linhagens tradicionais, mas sempre me perguntei se alguém na sala se sentia capaz de se iluminar tanto quanto
ou mais que o mestre. Claro que a resposta sempre era uma demonstração de humildade teatral e excessiva. Eu? Imagina, só daqui mil vidas. Se Lama Tsong Kapha* praticou tudo que praticou, imagina eu que sou ignorante e desmerecida!

Se nos tratarmos com tal nível de distância, desconexão e irresponsabilidade, com certeza irá demorar. E considero Lama Tsong Kapha um amigo, um companheiro na minha imaginação.

Observo nesta mudança de estrutura espiritual hierárquica, pessoas mais fortalecidas em si mesmas, sem qualquer dependência emocional, confiantes, responsáveis e, acima de tudo, capazes de se transformar, não depois de um retiro de 6 meses, mas agora mesmo. O mais rápido possível. Afinal, não é essa a ideia?

E esta mudança de relacionamento com a própria espiritualidade está clara, não só com Bentinho, mas no mundo no geral. Vejo mais liberdade, rapidez de transformação e muito mais sabedoria e amor fluindo como norma. Especialmente nas gerações mais novas, nossos novos guias e transformadores. É a época em que vivemos a grande transição da Kali Yuga, a era da degeneração, para uma era de luz e união.

O mundo já mudou e todos somos capazes de nos iluminar, de transcender, de entender finalmente, com o coração e com o nosso DNA.

Agora, estou em Boulder, Colorado, e acabo de voltar do meu segundo retiro com Bentinho. Estamos aqui, eu, ele e uma turma, construindo uma maneira nova de viver e interagir, com libertos da hipnose social e em conexão com nossa mente de clara luz, nossa mais alta intenção como seres humanos totalmente capazes de se transformar, cada vez mais rápido, e dando muita, mas muita risada no caminho.

Como diz Bentinho “Se você não está feliz, não está ajudando”, e como diz Lama Michel “O caminho espiritual é o caminho da alegria”. Ou seja, guardem o chicotinho, perdoem, se curem e sigam o néctar de sua paixão, que é sua melhor bússola, momento a momento, dia a dia, mês a mês, vida a vida.

Acabou a era de “papai e mamãe”, a era da vítima (era de Peixes) e começou a era do herói, a era de Aquário.

*Tsong Kapha (1357-1419) foi um grande e famoso mestre Tântrico e filosófico que fundou a linhagem Gelupa do Budismo Mahayana.

www.bentinhomassaro.com

Rebecca Sharp de Mattos

Rebecca Sharp de Mattos

Rebecca Sharp de Mattos, 37 anos, anglo-brasileira. Formada em Teatro, Kundalini Yoga e Filosofia Budista, é artista e música.
Atualmente, divide o seu tempo entre o Brasil e Boulder, Colorado nos EUA, onde dá aulas de yoga nos retiros de Bentinho Massaro, sobe e desce montanhas, medita e se conecta com ovni’s e seus passageiros luminosos com sucesso. Qualquer dúvida, pergunta ou sorriso, por favor, não hesite em entrar em contato: rsm.rebecca@gmail.com

No Comment

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *