Meditação

BUDISMO ENGAJADO DE THICH NHAT HANH

Thich Nhat Hanh é um dos mestres Zen Budistas da atualidade mais conhecidos e respeitados no mundo. Chamado de Thay por seus alunos, publicou mais de 100 títulos entre eles traduções dos sutras, manuais sobre mindfulness, livros de poemas, prosa e histórias infantis.

Nasceu em 1926, na região central do Vietnã, entrou na vida monástica, com dezesseis anos em Tu Hieu Temple, e recebeu a ordenação em 1949. Em seu livro “Lotus em um mar de fogo” Thich Nhat Hanh emprega pela primeira vez o termo “Budismo Engajado” que virou um movimento nos anos seguintes. Sua vida desde então tem sido dedicada ao trabalho de transformação interior para o benefício dos indivíduos e da sociedade, compartilhando o espaço sagrado com o ativismo de paz.

 “Budismo Engajado, é um termo redundante, já que budismo significa estar consciente, estar desperto para o que está acontecendo no seu próprio corpo, sentimentos e mente, como também no mundo que o cerca. Se você está desperto, não pode agir de outra forma senão compassivamente para aliviar o sofrimento que vê ao redor.

O budismo é, portanto, implicitamente engajado. Se não é engajado, não é budismo”.  Thich Nhat Hanh

Na década de 60, Thich Nhat Hanh viajou para os Estados Unidos para estudar Religião Comparada na Universidade de Princeton e passou a ensinar e pesquisar o Budismo da Universidade de Columbia.  Também fundou a Escola de Serviço Social da Juventude, uma organização de ajuda de base que treinou jovens praticamente e espiritualmente para serem enviados para reconstruir aldeias bombardeadas, criação de escolas e centros médicos, reassentar famílias desabrigadas e organizar cooperativas agrícolas. Reunindo cerca de 10.000 estudantes voluntários. Esse trabalho foi sustentado por princípios budistas de não-violência e da ação compassiva. Fundou a Ordem do Interser, baseada nos preceitos tradicionais budista Bodhisattva. Em 1975 ensinou e pesquisou Budismo na Universidade de Sorbonne, Paris.

Com o resultado do seu trabalho em 1967, Thich Nhat Hanh foi indicado para o Prêmio Nobel da Paz por Martin Luther King. Na volta, tanto Vietnã do Norte como do Sul lhe negaram o direito de retorno ao Vietnã.

Exilado na França, depois de alguns anos fundou a Plum Village uma pequena fazenda rural, que é hoje, o maior e mais ativo mosteiro budista da Europa, com mosteiros associados em quatro continentes e grupos chamado de sanghas, em mais de quarenta países do mundo.

Thich Nhat Hanh continua a liderar retiros de meditação sobre a arte de viver em plena consciência em todo o mundo, incluindo retiros especiais para psicoterapeutas, professores , empresários , políticos, cientistas, policiais e  mais recentemente, para israelenses e palestinos.

Leo, que organiza os encontros da Sangha “Viver Consciente” do Tay no Rio de Janeiro fez o seguinte depoimento ao VamosMeditar:

Nosso espaço existe para permitir que qualquer pessoa que deseje possa ter acesso a prática budista. No nosso caso somos alunos do mestre Thay e praticamos segundo suas orientações gerais. Nossa missão é sempre estar abertos e nesses 7 anos já houve vezes de pouquíssimas pessoas irem e outras onde a sala fica cheia. Não importa. O que importa é estarmos lá e acolher quem vier. Há pessoas que vem uma vez e nunca voltam, outras se encontram e ficam. Não importa. Talvez aquela única vez tenha feito muita diferença na vida daquela pessoa. No fundo somos um grupo de amigos que gosta dos ensinamentos e gosta de praticar juntos para não nos perdermos e não desanimarmos. A troca é fundamental para que possamos ter diligência e seguirmos em frente.

Na escola do Thay a ênfase é na plena atenção em cada ação da vida diária. Seja sentando em meditação, seja escovando os dentes. Cada momento deve ser um momento de atenção, onde desfrutamos a vida. Sentar, andar, deitar, lavar pratos, tudo é prática. Hoje há inúmeros monastérios pelo mundo e no Brasil também temos um monge que vive no Espírito Santo. Thay criou o termo budismo engajado na década de 60 para descrever esse tipo de prática. Não há separação entre a sala de meditação e todos os outros momentos de nossa vida. Estamos engajados na vida com atenção máxima.

Saiba mais:

http://plumvillage.org

http://www.viverconsciente.com

Livros Indicados:

velho-caminho-nuvens-brancas

Velho caminho, nuvens brancas. Seguindo as pegadas de Buda. Ed. Bodigaya. 2007.

A-ESSENCIA-DOS-ENSINAMENTOS-DE-BUDA

A essência dos ensinamentos de Buda. Ed. Rocco. 2001.

Aloice

Aloice

Ouvir pessoas, desenhar, escrever, transformar ideias e conceitos em
arte, formas, produtos e comunicação é sua atuação nos últimos 15 anos. Sua motivação com o VamosMeditar é criar espaço interno e externo para a troca consciente de experiências para quem busca autoconhecimento e desenvolvimento pessoal.

No Comment

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *