Crescimento Pessoal

AMOR, DINHEIRO E FELICIDADE

Que todos nós queremos ser felizes já não é novidade. A única questão é que, em algum momento, passamos a acreditar que fazer sucesso e ter dinheiro, ou o que ele pode comprar, nos faria feliz.

Mas, afinal, da onde vem isso? Qual a origem desta ideia?

No fundo, a maior necessidade do ser humano é se sentir amado. O amor é o que nos faz sentir aceitos, compreendidos, acolhidos e “aquecidos”. Tudo isso se resume em nos sentirmos seguros para podermos florescer como indivíduos, e preenchidos o suficiente para também poder doar, dar amor.

O problema é que não compreendemos que o amor é a coisa mais abundante do planeta. É uma fonte que quando aberta é inesgotável.

Quando somos crianças e ainda muito frágeis somos muito carentes de amor. Já ouvi psicólogos dizerem que na visão de uma criança o amor dos mais dedicados pais nunca é ou será o suficiente, e tudo o que desvia a atenção deles vira uma ameaça.

Neste período de nossas vidas, este “amor-atenção” está intimamente ligado a um instinto de sobrevivência, que faz com que a criança queira ser o centro das atenções e ela aprende rápido como fazer isso. E esse “modus operandi” nos acompanha o resto da vida.

Para nos mantermos no centro das atenções e nos sentirmos amados, tentamos ser perfeitos, corresponder a expectativas dos pais e da sociedade. Consciente ou inconscientemente, buscamos incessantemente a beleza, o sucesso profissional e financeiro para parecermos poderosos e nos sentirmos idolatrados e admirados. Fazemos coisas para recebermos elogios e aplausos. Desprezamos e não compreendemos quem não faz o mesmo.

Até certo ponto isso até pode se sustentar. Porém, se todo este esforço tiver na sua intenção apenas a necessidade de ser amado, não terá como se manter, porque no fundo sabemos que estamos criando uma falsa realidade através de uma personagem inventada muito desconectada de quem somos realmente.

Todo este círculo vicioso ficou tão enraizado, que além de esquecermos que fazemos tudo o que fazemos simplesmente para sermos amados, nos desligamos da nossa própria fonte interna de amor.

Acreditamos tanto no mundo externo e entregamos tanto a este, que a verdadeira fonte de abundância se fechou na maioria de nós. Por isso, vivemos numa sociedade com pessoas cada vez mais inseguras, sem confiança em si e nos outros.

O medo de não ter amor se transformou em extremos de inveja, vaidade, orgulho, maldade, arrogância, avareza, ganância, apego e tudo o que está levando o mundo material a escassez. Porque nestas frequências opressivas e restritivas, tudo se retrai, se contrai.

Nos esquecemos de quem somos, não compreendemos que a fonte que buscamos é inesgotável e está dentro de nós. Continuamos agindo como crianças lutando por atenção para sobreviver.

E, neste momento, onde os aplausos duram apenas 15 minutos e a sobrevivência de todos os seres pode estar mesmo em risco, a única saída que temos é relembrar que somos potencialmente uma usina de amor, capaz de lavar com o seu fogo todos os medos e seus derivados.

Ao nos religarmos com o amor dentro de nós, aos poucos, nos sentiremos aptos a doar esta energia e começaremos a “permitir” que outros também façam o mesmo. Se inicia uma rede numa frequência muito mais alta do que a que vivemos hoje. Mais expansiva, criativa e abundante porque dele também nascem a compaixão, o altruísmo e a generosidade.

Por isso, toda vez que desejarmos a felicidade, devemos lembrar que na verdade o que queremos é nos sentirmos amados, e que não é preciso comprar o amor. É só começarmos a dar e começaremos a receber.

O amor, somente o amor, é o caminho para a verdadeira felicidade, abundância e prosperidade que todos nós almejamos.

Ana Cristina Koda

Ana Cristina Koda

Após mais de 20 anos no caminho do autoconhecimento e da espiritualidade, resolveu compartilhar suas visões e experiências pessoais, frutos das práticas de meditação, através de seus artigos. Seus muitos anos como profissional das áreas de marketing e comunicação são a base desta sua vontade de se comunicar, agora, com um propósito maior.
Vamos Meditar concretiza este sonho, que está se realizando e que dedica a todos os seres. Também dá aulas particulares de meditação e atende com terapias integrativas para quem quer seguir o caminho do autoconhecimento e da espiritualidade.
Contato pelo email: anackoda@gmail.com

No Comment

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *