Crescimento Pessoal

5 MODOS DE TIRAR OS OBSTÁCULOS DO CAMINHO DA FELICIDADE

O site Huffingtonpost.com, publicou no começo de janeiro uma matéria com Eckhart Tolle, sobre a arte do contentamento e da celebração da vida. Para os que acham que isso é impossível, porque sempre haverá algo externo para tirar o nosso sossego, seguem as dicas do grande mestre.

Crie uma consciência
O processo começa com a consciência. Eckhart nos diz que, como o escritor Plutarco explicou, temos de nos tornar conscientes do que é, em nós, que nos bloqueia do contentamento.
Como um sacerdote no templo do oráculo de Delfos, na Grécia antiga, Plutarco passava todos os dias por uma inscrição na parede do templo onde se lia: “conhece a ti mesmo.” Esta inscrição, de acordo com Eckhart, é um chamado para começar a explorar quem ou o que está em sua essência, além do que você vê no espelho.
Comece por se dar permissão para se tornar ciente do que faz e como age em resposta a outras pessoas ou de situações desafiadoras. Se você enfrentar uma situação difícil, pare por um momento e pense aonde, em seu corpo, se sente constrangido. Observe por onde sua mente divaga.

Entenda os seus padrões
Conhecer a si mesmo é mais do que observar suas reações e seguir seus instintos. Trata-se de realmente entender os padrões que você segue: em seu trabalho, em casa e quando você está sozinho. Saber quem você realmente é e por que você tende a assumir esses padrões é um meio de enxergar onde a mudança pode acontecer.
Como pode saber quem você é? Pergunte a si mesmo. Aproveite o tempo para escrever como você se sente em determinado desafio,
mas também como se sente sobre as coisas que são importantes para você.
Faça um desenho de seus sentimentos e tente interpretar o que você vê na sua frente. Quais são os momentos quando você se sente mais feliz?

Observe o que está faltando
O próximo passo, como ensina Eckhart, é olhar para o que em nós precisa mudar e o que tem de que surgir. Eckhart explica que as pessoas são capazes de “encontrar algo congruente e útil para si mesmos nas mais proibitiva das situações. Aparentemente, nas situações mais desagradáveis, se você se alinha com estas, uma nova coisa boa emerge de tudo isso.” Com autoconsciência vem espaço para novas ideias e novos padrões de sentimento tomam forma.
Temos de observar onde e quando podemos encontrar gratidão para o que vivenciamos na vida. Abra espaço para apreciar as coisas menores da vida, como a mão de uma criança segurando a nossa, uma caminhada na floresta e o cheiro de pinus, ou o som do vento.
Leva tempo para perceber essas coisas, mas também observar o que acontece no seu corpo e na sua mente quando você dá tempo para o momento presente.
Perceba o que pode ter mudado desde quando começou a tornar-se consciente de seus padrões de vida?

Arranje tempo para a luz e para a escuridão
Não importa o quê você faça, a vida nunca vai simplesmente oferecer uma profunda alegria todos os dias. Como Eckhart nos ensina, precisamos entender que esperar não experimentar o lado escuro da vida é irrealista, e isso leva ao sofrimento.
Eckhart sugere que precisamos nos lembrar dos ensinamentos de outro antigo dramaturgo grego, Eurípides, que escreveu, “Eu digo pobre de mim, mas porquê? Eu estou apenas experimentando o que é ser humano.” As polaridades que enfrentamos na vida, ou seja, os maravilhosos altos e baixos, são algo que podem testar o nosso compromisso com o contentamento, porque estamos sempre almejando um e tentando evitar o outro.
Quando confrontados com um desafio, faça ser do seu desejo olhar tanto a luz como o lado negro da situação. Lembre-se que isto é parte da experiência humana. Ser consciente de seus sentimentos, pode ajudá-lo a transcender um estado de sofrimento e apreciar o que tem, ao invés de focar no que você não tem.

Se conecte com a alegria do agora
Eckhart Tolle nos ensina que viver em um estado de paz interior é direito de todos, e que viver em aceitação e presença, podem tornar obstáculos diários agradáveis e edificantes.
Eckhart diz, “nós deve purificar nosso poço inato de contentamento e as coisas externas, então, estarão em harmonia com agente.”
Como ele escreve, isso é o que os antigos sábios da Índia chamavam “ananda”: a felicidade de ser.
Todos nós precisamos recorrer às vezes ao poço de contentamento. Para manter o seu poço cheio, reserve um tempo para si mesmo, todos os dias, para seguir o seu próprio caminho espiritual ou psicológico. Há muitas maneiras de fazer isto.
O estado de felicidade pode ser encontrado na simples observação da beleza no mundo. Você pode imergir na prática de meditação ou ioga, ou seguir os ensinamentos da instituição religiosa que escolheu.
Em última análise, a felicidade vem de dentro. Quando tomamos o tempo necessário para conhecer a nós mesmos e o que vai encher o
nosso poço de contentamento, nos tornamos plenamente conscientes.
Ao fazê-lo, nós desbloqueamos os obstáculos à nossa própria satisfação.

Link original: http://www.huffingtonpost.com/lisa-aisling-montagu/eckhart-tolle-on-contentm_b_6424650.html

Ana Cristina Koda

Ana Cristina Koda

Após mais de 20 anos no caminho do autoconhecimento e da espiritualidade, resolveu compartilhar suas visões e experiências pessoais, frutos das práticas de meditação, através de seus artigos. Seus muitos anos como profissional das áreas de marketing e comunicação são a base desta sua vontade de se comunicar, agora, com um propósito maior.
Vamos Meditar concretiza este sonho, que está se realizando e que dedica a todos os seres. Também dá aulas particulares de meditação e atende com terapias integrativas para quem quer seguir o caminho do autoconhecimento e da espiritualidade.
Contato pelo email: anackoda@gmail.com

1 Comment

  1. […] *Ana Cristina Koda é uma das idealizadoras e editora do site Vamos Meditar. […]

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *